segunda-feira, 12 de setembro de 2011

EU, MEU LIVRO, E PÉ NA ESTRADA - diário de uma aventura pelo sonho e pela arte


            Esta semana começo a minha jornada regional de pequenas viagens para divulgar o meu livro Balada Suburbana.
            Minha decisão de viver de arte foi tomada há anos. Desde então, as adversidades encontradas foram muitas, mas até aqui tenho encontrado também forças para persistir lutando pela realização dos meus propósitos. E, a despeito de qualquer obstáculo, os projetos não param de surgir, o desejo de fazer da arte mais e mais o foco de todas as minhas ações parece se fortalecer a cada dia.
            Depois de atuar por cinco anos como funcionário contratado da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, e agora novamente desempregado, não me passa pela cabeça exercer qualquer outra profissão que não esteja vinculada à criação artística, apenas como atividade de sobrevivência. Para mim, qualquer outro trabalho que me rendesse muito dinheiro mas me separasse da arte, funcionaria muito mais como atividade de mortificação.
            Por felicidade, meu livro de contos Balada Suburbana foi aprovado no projeto cultural Lei A. Tito Filho, e lançado no começo de 2010. Como eu tinha pouco tempo para dedicar à divulgação do livro, ainda tenho em mãos cerca de dois mil exemplares. Portanto, precisando agora de uma fonte de renda, tendo que divulgar o meu livro e sendo incapaz de trabalhar em qualquer outra coisa que não tenha relação com o universo artístico-cultural , resolvi encarar o desafio de pôr em prática uma verdadeira CAMPANHA de vendas de balada Suburbana. Talvez no estilo mais dureza, do tipo exército de um homem só. Sem problema, estou disposto a tentar.
            De um jeito ou de outro, o escritor iniciante no Brasil tem a necessidade de se autopromover. A vantagem de se ter uma fonte de renda garantida, através de uma profissão paralela, é que a pressão sobre o artista é bem menor. Mas ter que divulgar o seu trabalho, todos têm. Assim, no meu caso, estou unindo o útil ao agradável no mais honesto e gratificante dos sentidos.
            Minha primeira parada é Caxias-MA, a 66 km de Teresina. Estarei saindo de Teresina na quarta-feira a tarde. Em todas as cidades minha passagem será bem rápida, coisa de um ou dois dias. No entanto, como vou andar pelas ruas dos centros comerciais dessas cidades, divulgando e vendendo o livro cara-a-cara com o público, histórias para contar com certeza não faltarão.
            E pra quem quiser acompanhar tudo, vou escrever e postar aqui cada detalhe dessa experiência. Está chegando a hora.
            Inté!

Nenhum comentário: